Comissão de Educação pode votar cota para idosos em universidades federais


22/04/2024 às 14:31
Redação

Veja

A Comissão de Educação (CE) deve analisar nesta terça-feira (23) projeto que garante vagas em instituições federais de ensino superior a idosos com 70 anos ou mais que comprovadamente não tenham curso superior completo. O projeto de lei (PL) 4.662/2019, do senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB), ainda dispensa a necessidade de processo seletivo para os idosos. A reunião está prevista para começar às 10h.

Os relatórios da senadora Leila Barros (PDT-DF) na CE e na Comissão de Direitos Humanos (CDH), onde foi aprovado em 2021, são favoráveis à proposta, mas com emendas. As alterações propostas por Leila restringem o acesso facilitado a até 20% das vagas reservadas a cotas que não forem preenchidas. Segundo as emendas, a classificação será feita por ordem decrescente de idade. Para isso, a proposta altera a Lei de Cotas (Lei 12.711, de 2012).

O projeto seria analisado pelos integrantes da CE no dia 9 de abril, mas foi concedida vista coletiva, mecanismo que permite maior tempo de análise pelos parlamentares antes da votação.

“Educação política”

A CE ainda deve analisar o PL 4.088/2023, também da Câmara dos Deputados, que inclui os temas "educação política" e "direitos da cidadania" na grade curricular obrigatória da educação básica (educação infantil, ensino fundamental e ensino médio). O relatório do senador Styvenson Valentim (Podemos-RN) é favorável à mudança.

O PL 2.650/2022, que institui a Política Nacional de Atendimento Educacional Especializado a Crianças de Zero a Três Anos (Precoce), também retorna à pauta da CE após vista coletiva no dia 9 de abril. O projeto, originário da Câmara dos Deputados, altera o chamado Marco Legal da Primeira Infância (Lei 13.257, de 2016) para priorizar, na oferta de serviços e apoios necessários para o desenvolvimento desta faixa etária, os bebês que tenham nascido em condição de risco e outras as crianças que carecem de atendimento educacional especializado. O relatório do senador Confúcio Moura (MDB-RO) é favorável ao projeto.

"Capitais nacionais"

Do total de 13 projetos de lei a serem analisados, quatro conferem a municípios título de capital nacional de algum produto ou projeto de destaque:

  • PL 5.764/2023: torna a cidade de Santa Gertrudes, em São Paulo, na capital nacional da cerâmica de pisos e revestimentos. O relator, senador Astronauta Marcos Pontes (PL-SP), é favorável;
  • PL 1.846/2022: confere a Pelotas, no Rio Grande do Sul, título de capital nacional do doce. O senador Paulo Paim (PT-RS) apresenta relatório pela aprovação;
  • PL 1.051/2022: torna Maceió a capital nacional do sururu, prato típico da região, com voto favorável do relator, o senador Efraim Filho (União-PB);
  • PL 1.434/2019: confere ao município de Três Rios, no Rio de Janeiro, título de capital nacional de incentivo às micro e pequenas empresas, com relatório favorável do senador Romário (PL-RJ). 

Fonte: Agência Senado

0 comentários


Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *


Veja mais:


  • Política MT - Fidelis fala do avanço e modernização da educação infantil em Várzea Grande
  • Política MT - “Fim trágico” dispara Mauro Mendes sobre a carreira de Emanuel Pinheiro
  • Política MT - Botelho estuda plano de mobilidade para Cuiabá superar a vergonha de 2014
  • Política MT - Max Russi revela que Júlio Campos pode ser 1º vice da Mesa Diretora
  • Mato Grosso - Cras Santa Maria dá início a projeto de canteiros de ervas aromáticas e medicinais
  • Política MT - Comissão de Agropecuária da ALMT aprecia 33 projetos de lei
  • Pelando - Hot! Gracyanne Barbosa lança lingerie
  • Mato Grosso - Secel-MT promove evento em parceria com Ministério da Cultura sobre incentivo a projetos culturais
  • Brasil - Marília Mendonça é a artista mais ouvida no Brasil em plataforma de streaming
  • Pelando - Deolane Bezerra descreve como imagina pênis de Fiuk: 'É uma coisa grande'